Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

o lado negro da princesa

o lado negro da princesa

Sabes que é ano de Autárquicas

Obras por todo o lado!

Trânsito ainda mais complicado, passeios em obras, lombas, buracos, pintura nova para parecer bonito nos cartazes! 

Parece que os autarcas passam o mandato inteiro a espera do último ano como num toque de magia, redecorar,remodelar,repavimentar,re...que se dane,importa é mostrar alguma coisa para a reeleição!

Obras,obras e mais obras!!!

 

E o resto do mandato? 

 

Notas sobre a liberdade

Há 47 anos atrás uma revolução trazia cor a um pais que parecia eternamente cinzento.

Aqui no interior a pobreza era quase extrema; França foi a fuga para muitos.

Ficar na terra era sinónimo de degredo. Só não se escapou de cá quem não pôde. 

47 anos depois, os filhos da terra vêm de férias mas cada vez menos. O estrangeiro já não é tão vantajoso como outrora. 

A província continua a ter o peso de ser; daqui a Lisboa são 4 horas de distância,as portagens são absurdamente caras, a vida cá é absolutamente mais barata do que na cidade, mas nem assim...

A liberdade já está. Agora falta a tão almejada igualdade com o litoral.

 

An endless story

Tem fé...

No fim ficas com ele, e a história recomeça, retocas o sentimento, dás mais azo a imaginação e o final é a cada dia que passa,que vives, que amas...

No fim descobres o propósito de teres vindo ao mundo, até achares que não serves para nada e recomeçares o caminho até te reencontrares, mais forte e mais sorridente. 

Até para cair do precipício é preciso tomar uma atitude. Fazer nada é que não. 

No fim mudam os padrões e tu já eras bonita e não sabias, acreditavas mais na mesmice do que na evolução. O mundo avança, há cada vez mais gente a usar e a ter visão. 

No fim, não há um fim, tudo se transforma. A vida segue e as coisas só mudam de lugar. 

 

Horas

O tempo do teu lado voa...

Dou comigo a pensar que podia tê-lo aproveitado melhor, que podia ter feito as coisas doutro modo, dar-te mais amor...

Amor. Sorrisos e gargalhadas. O meu mau feitio e o teu silêncio. Não ter medo de pedir desculpa. 

Ter-te. Olhar para ti e agradecer ao destino.

Sentir-te . Não ter medo de me dar. Revelar-te a sensualidade que tens, o desejo que me despertas, a intensidade da entrega...

Eu e tu. Sem merdas, sem reservas. Como deve ser.

 

Aleluia

Não gosto de estar sozinha. 

A casa parece demasiado grande e o tempo demasiado extenso.

Saí da aldeia para poder ter um gato em casa. Vim para um sitio onde nem cão nem gato e até para dar uma com o rapaz é tramado. Acho que me perdi por entre as vontades dos outros. Acomodei-me.

E dei conta de que não estou feliz. 

Tirei a carta para ser autónoma. Depois do acidente não voltei a conduzir.

Hoje, não sei como, olhei para mim numa de...atão pá?

Vi estes fantasmas a pairar e assumi as dores que andava a ignorar.

Sabe bem ter espaço e poder isolar-me quando sentir necessidade.  Mas daí a estar sempre sozinha...

 

Cheira a sonhos

873fc228353864df1d2208fa20f254b8.jpg

Em resposta ao desafio da Abelha ( dos quais assumo já tinha saudades!)..

 

"Tia, olha a chuva"

A miúda olhava maravilhada a vidraça. Colou o nariz, rabiscou no vapor. Sorria.

O bolo no forno, a chuva a cantar lá fora.

Paz, aromas, coração a abarrotar com amor.

Família junta, poucos, cumprindo as normas. 

Abril. Páscoa.

Dias assim são únicos.

 

.https://anadedeus.blogs.sapo.pt/os-desafios-da-abelha-desafio-30860